fbpx

A arquitetura é considerada a quinta entre as belas artes, o ofício dedicado à composição do espaço, cujo desafio extrapola o desenho de estruturas, paredes e fachadas, afinal, “a arquitetura é música petrificada1”.

Organizar o espaço demanda sensibilidade, visão espacial e muito empenho para se chegar à melhor solução. É trabalho de artista, “uma ciência, surgindo de muitas outras, e adornada com muitos e variados ensinamentos: pela ajuda dos quais um julgamento é formado daqueles trabalhos que são o resultado das outras artes2.”

E para isso, persegue a tríade vitruviana que delimita os três elementos básicos da arquitetura:

  • A firmitas: o carácter construtivo da arquitetura no que se refere à estabilidade e resistência;
  • A utilitas: que se refere à comodidade, associada ao longo da história à função do espaço e ao utilitarismo do espaço habitável;
  • A venustas: associada à beleza e à apreciação estética.

Fazer arquitetura é refletir sobre essa experiência entre o homem e o seu espaço. E quando refletimos sobre algo, o reflexo de nós mesmos se espelha no pensamento. Dessa forma, não há como separar o ato de se pensar arquitetura da cultura empresarial de uma incorporadora e construtora.

No caso da Espaço Y, no centro do nosso pensamento está sempre a jornada do indivíduo. Daí sempre voltarmos para uma arquitetura que valoriza o cotidiano do cliente, uma vez que “o correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta3.”

Arquitetura e beleza

Edifício Guimarães Rosa

A Espaço Y é apaixonada pela arquitetura por se tratar do ofício que combina a mais fina técnica com uma das mais antigas necessidades do homem: a habitação. Vocacionados para esta arte, respiramos arquitetura dia e noite, de olho nas grandes obras e novidades que se espalham pelo mundo, qualificando-nos em parceria com escritórios renomados que assinam nossas obras e pesquisando materiais e tecnologias que tragam soluções inovadoras para os novos projetos. Tudo isso para se chegar ao melhor resultado para o perfil de quem o espaço se destina.

Isso tudo prezando o uso funcional do imóvel, porém, sem perder o efeito estético que nos leva a enamorarmos de um edifício. Afinal, arquitetura pra Espaço Y é o lugar onde a gente quer estar.

[1] Johan Wolfgang Goethe.
[2] Marco Vitrúvio Polião
[3] Guimarães Rosa em Grande Sertão: Veredas.