fbpx

Doar sangue é um gesto de solidariedade para diversas pessoas em situações delicadas de saúde que demandam uma transfusão, seja em decorrência de acidente, doença crônica, tratamentos ou intervenções médicas. Você sabia que uma única doação que você faz pode salvar até quatro vidas?

 

Pois é, principalmente quando chegam os grandes períodos de festas como o carnaval e o final de ano, os hemocentros das capitais realizam campanhas para que as pessoas se atentem à necessidade de doar sangue. Se você tem curiosidade ou interesse em doar, veja abaixo algumas informações importantes para que uma pessoa se torne uma doadora.

 

 

Pré-requisitos para se tornar um doador.

 

Segundo informa a Fundação Hemocentro de Brasília, deve-se observar sempre estas condições básicas:

 

  • Ter entre 16 e 69 anos de idade (Menor de 18 anos deve apresentar o formulário de autorização e cópia do documento de identidade com foto do pai, mãe ou tutor/guardião. Idosos devem ter realizado pelo menos uma doação de sangue antes dos 61 anos);
  • Pesar mais de 51 quilos e ter IMC maior ou igual a 18,5 (descontar o vestuário);
  • Não estar em uso de medicamentos;
  • Apresentar documento de identificação oficial com foto (original ou cópia autenticada em cartório), em bom estado de conservação e dentro do prazo de validade. Documentos aceitos: carteira de identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira nacional de habilitação, passaporte, carteira profissional emitida por classe ou carteira do doador da FHB. Não são aceitos crachás funcionais, carteiras estudantis nem certidão de nascimento;
  • Dormir pelo menos seis horas, com qualidade, na noite anterior à doação;
  • Não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores à doação;
  • Não fumar duas horas antes da doação.

 

Importante:

 

• Doador com menor de 12 anos deverá vir acompanhado de outro adulto para cuidar da criança.

• O candidato à doação será avaliado por profissionais de saúde para verificar se está apto a doar.

• Seja sincero ao responder as perguntas feitas durante a triagem! Não omita informações importantes, pois disso depende a segurança do doador e do receptor.

 

 

Alimentação.

 

Nada de jejum! É importante estar bem alimentado para doar sangue, assim como beber bastante água desde o dia anterior à doação. Fique atento a algumas precauções:

 

  • Pelo menos três horas antes da doação, evite alimentos gordurosos, como açaí, abacate, leite e seus derivados (queijo, iogurte, manteiga…), massas, frituras, ovos, maionese, sorvete, chocolate, etc.
  • Se preferir doar depois do almoço, aguarde duas horas após ter se alimentado. O almoço deve ser leve, com carnes grelhadas, saladas, arroz e feijão sem carnes.

 

 

O que me impede de ser um doador?

 

Você pode conferir aqui alguns dos impedimentos mais comuns para doação de sangue, mas adiantamos alguns nas listas abaixo:

 

Impedimentos mais recorrentes. [2]

Impedimentos para doar sangue

Fique atento para os impedimentos.

 

 

  • 1. por 48 horas:
    • » se recebeu vacina preparada com vírus ou bactéria mortos, toxóide ou recombinantes. Ex.: cólera, poliomielite (salk), difteria, tétano, febre tifóide (injetável), meningite, coqueluche, pneumococo.
    • » se recebeu vacina contra gripe.
  • 2. por sete dias:
    • » se teve diarréia.
    • » após terminarem os sintomas de gripe ou resfriado.
    • » após a cura de conjuntivite.
    • » extração dentária (verificar uso de mediação).
    • » tratamento de canal (verificar medicação).
  • 3. por duas semanas:
    • » após o término do tratamento de infecções bacterianas (uso de antibióticos).
    • » após a cura de rubéola.
    • » após a cura de erisipela.
  • 4. por três semanas:
    • » após a cura de caxumba.
    • » após a cura de varicela (catapora).
  • 5. por quatro semanas:
    • » se recebeu vacina de vírus ou bactérias vivos e atenuados. Ex.: poliomielite oral (sabin), febre tifóide oral, caxumba, febre amarela, sarampo,BCA, rubéola, catapora, varíola etc.
    • » se recebeu soro antitetânico.
    • » após a cura de dengue.
    • » cirurgia odontológica com anestesia geral.
    • » após o retorno, quem esteve em região onde há surto de Febre Amarela.
  • 6. por oito semanas (somente para homens):
    • » após uma doação de sangue. Esse período deve ser ampliado para 16 semanas se houve doação dupla de hemácias por aférese.
  • 7. por 12 semanas (somente para mulheres):
    • » após uma doação de sangue (para mulheres). Esse período deve ser ampliado para 24 semanas se houve doação dupla de hemácias por aférese.
    • » após parto normal ou abortamento.
  • 8. por três meses (independente se homem ou mulher):
    • » se foi submetido a apendicectomia.
    • » se foi submetido a hemorroidectomia.
    • » se foi submetido a hernioplastia.
    • » se foi submetido a ressecção de varizes.
    • » se foi submetido a amigdalectomia.
  • 9. por seis meses a 01 ano:
    • » se foi submetido a uma cirurgia de médio ou grande porte como por exemplo: colecistectomia, histerectomia, tireoidectomia, colectomia, esplenectomia pós trauma, nefrectomia etc.
    • » após a cura de toxoplasmose comprovada laboratorialmente.
    • » qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia etc): aguardar 6 meses.
      » se fez piercing (se piercing na cavidade oral ou genital, devido ao risco permanente de infecção, implica em inaptidão por 12 meses após a retirada).
    • » se contraiu Febre Amarela; aguardar 6 meses após recuperação completa (clínica e laboratorial).
  • 10. por 12 meses:
    • » se recebeu uma transfusão de sangue, plasma, plaquetas ou hemoderivados.
    • » se recebeu enxerto de pele.
    • » se sofreu acidente se contaminando com sangue de outra pessoa.
    • » se teve acidente com agulha já utilizada por outra pessoa.
    • » se teve contato sexual com alguma pessoa com AIDS ou com teste positivo para HIV.
    • » se teve contato sexual em troca de dinheiro ou de drogas ou seus respectivos parceiros sexuais; .
    • » se teve contato sexual com usuário de droga endovenosa.
    • » se teve contato sexual com pessoa que tenha recebido transfusão de sangue nos últimos 12 meses.
    • » se teve relação sexual com pessoa com hepatite.
    • » se fez tatuagem ou maquiagem definitiva.
    • » se teve sífilis ou gonorréia.
    • » se foi detido por mais de 24 horas.
  • 11. por 5 anos:
    • » após a cura de tuberculose pulmonar.

 

Impedimentos definitivos. [3]

 

  • Ter passado por um quadro de hepatite após os 11 anos de idade;
  • Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue:  Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas;
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis;
  • Malária

 

 

Se você estiver em dúvida sobre algum desses impedimentos, não doe.

 

 

Quero doar! Como eu faço?

 

Para agendar a sua doação de sangue basta ligar no telefone 160, opção 2, ou 0800 644 0160 de segunda a sexta, das 9h às 18h.

 

 

 

Outros artigos.

Alimentos orgânicos fazem bem a todos.

 

Os inimigos da boa alimentação.

 

O futuro da terceira idade.

 

 

 

[1] Fonte: Ministério da Saúde

[2] Fonte: Hemocentro de São Paulo

[3] Fonte: Fundação Hemocentro de Brasília