fbpx

Quando um casal decide comprar um imóvel juntos existem diversas expectativas em jogo, porque mesmo que seja apenas para dividir o mesmo teto e não haja planos para um casamento, adquirir um imóvel é um negócio de alto valor que cria um vínculo importante entre os dois.

 

Não bastasse isso, dividir um apartamento é compartilhar o próprio espaço, ocupando e cedendo lugar com o objetivo de se construir um ambiente harmônico que seja acima de tudo bom para os dois! Se o perfil do casal não for respeitado, alguém vai acabar nunca se sentindo à vontade no imóvel, como se aquela não fosse a sua casa.

 

Para que isso não aconteça, vamos dividir algumas dicas de como escolher um imóvel bom para os dois, mostrando que existe muito mais coisas envolvidas neste passo tão importante da relação do que se imagina. Mais do que dividir uma cama, um sofá, um balde de pipoca e a conta da Netflix.   

 

 

Formatação do imóvel.

 

Geralmente os casais mais jovens têm duas coisas em comum: ainda estão se consolidando em suas carreiras e não têm filhos. O que isso significa? Que o apartamento é um lugar pouco usado durante a semana, uma vez que nesta fase profissional se trabalha bastante, e não precisam de espaço para crianças.

 

Considerando isso, um loft ou um apartamento até que poderia acomodar bem o casal. No entanto, o ideal é pensar logo em um apartamento de dois quartos, com um cômodo curinga que sirva de quarto de hóspedes e escritório ao mesmo tempo. Principalmente em uma época que o modelo home office se faz necessário, ter um local sagrado para o trabalho fará uma diferença enorme no cotidiano.

 

 

Localização.

 

Sem filhos, não é preciso estar próximo das escolas, permitindo buscar imóveis com custos mais acessíveis longe delas. Por outro lado, escolha um bairro que permita um acesso fácil ao trabalho dos dois.

 

Escolhido o bairro, procure um endereço que combine serviços e lazer nos arredores do edifício, permitindo que o casal resolva boa parte das demandas externas com uma caminhada.

 

 

Conforto e bem-estar.

 

Para quem já dividiu um quarto com o irmão quando criança, sabe a importância de se negociar bem o espaço compartilhado. O mesmo vale tanto para o casal “um é a cara do outro” e para o casal “os opostos se atraem”.

 

Por mais parecidos ou diferentes que os dois sejam, o mais importante é priorizar o conforto e o bem-estar de ambos, buscando soluções para o espaço que atendam as rotinas da dupla, bem como as expectativas cotidianas.

 

 

O imóvel pode ser um investimento.

Uma pergunta importante para o casal fazer é: quanto tempo pretendem ficar no endereço? Se a ideia é adquirir um imóvel maior em um determinado período de tempo, é possível ganhar dinheiro com a valorização do endereço se a venda for bem planejada e com tempo hábil para se fazer um bom negócio.

 

Se o casal conseguir adquirir um segundo imóvel sem negociar o primeiro, este poderá ser usado como uma fonte de renda extra, inclusive utilizando o aluguel do primeiro para pagar o financiamento do segundo.

 

 

Outros artigos:

 

Como se planejar para comprar um imóvel.

 

O que observar na localização de um imóvel.

 

Quando é certo trocar de imóvel?

 

Apartamentos para a terceira idade.