fbpx

Um reforma pode valorizar em até 30% o valor do seu imóvel antigo. Impressionante, não? Pois é, mas é preciso saber bem o que realmente faz a diferença na hora de reformar, sem perder tempo com o que ninguém enxerga e focando no que impacta positivamente o futuro comprador do apartamento.

 

A primeira preocupação deve ser sempre a manutenção. Não adianta nada agregar beleza, tecnologia ou qualquer outra solução se a instalação elétrica e hidráulica precisam de reparo, ou se é ainda perceptível infiltrações pelos cômodos.

 

A segunda prioridade deve estar nas intervenções que tragam conveniência e praticidade ao futuro morador. Um imóvel sem armários ou que tenham armários velhos demais, mofados ou comprometidos é algo difícil de negociar.

 

 

Até quanto se deve investir na reforma?

 

Quando você procura uma imobiliária especializada na região para negociar o seu imóvel é comum que eles saibam a diferença de preço entre um apartamento com armários e outro sem, de uma unidade reformada e de outra sem reforma. Sabendo isso, veja qual é a diferença de valor que o mercado paga pelo reformado.

 

Tendo em mãos o valor dessa diferença, limite-se a gastar no máximo 20% dessa quantia para realizar a reforma. Se o seu orçamento encaixar neste teto de investimento, a reforma será realmente um bom negócio para se fazer.

 

Lembre-se, também, que outra vantagem de se reformar o imóvel antigo para a venda é a velocidade de venda. Mesmo sendo mais caro, as pessoas se encantam primeiro pelo apartamento que já está pronto para morar, com tudo ajeitado e conservado, encurtando o tempo de negociação.

 

 

O que reformar?

 

Como o orçamento para a reforma é limitado, comece identificando o que necessita de uma reforma completa. Instalações elétricas, encanamento, piso, armários velhos, etc, são sempre a prioridade. Mas fique de olho também na banheira da suíte ou no forro de gesso, e outros diferenciais do imóvel que possam estar com problemas.

 

Em seguida, veja o que pode ser restaurado com pequenas intervenções. Aqui entram itens que podem ser o armário, que não precisa ser trocado mais demanda manutenção, a pintura que precisa ser refeita, um revestimento de parede que deve ser reparado ou trocado

 

Por último, e se você ainda contar com orçamento para isso, identifique o que pode ser agregado de novo ao ambiente, como acessórios, tecnologia e uma nova decoração. Estes itens podem modernizar bastante o visual do apartamento, dando um ótimo primeiro impacto.

 

 

Não personalize demais.

 

Procure implementar soluções cleans e neutras aos ambientes, deixando a decoração o menos personalizada possível. Isso permite que o novo morador adeque o espaço ao seu estilo com poucos ajustes. E ele vai enxergar isso na primeira visita.

 

Priorize sempre o bem-estar e a segurança que o imóvel pode oferecer. Por isso não economize nos materiais para as instalações elétricas e hidráulicas e tente deixar a cozinha o mais funcional possível, até porque se trata de um ambiente que chama sempre a atenção do comprador.

 

Por fim, primeiro identifique todos esses pontos sensíveis para a sua reforma e coloque no papel os custos detalhados para a obra. Para que o investimento se consolide, cada centavo deve ser bem investido durante a intervenção no imóvel, resultando em um grande negócio para o proprietário ao vender.

 

 

Outros artigos:

 

Reforme o seu apartamento sem brigar com os vizinhos.

 

O que é um retrofit na arquitetura.

 

Pintar o apartamento: 3 dicas para fazer isso sozinho.

 

Segredos do design de interior.