fbpx

No cotidiano de uma organização, existem diversas situações possíveis em que um funcionário ou colaborador influenciado por interesse próprio em detrimento aos do local onde trabalha pode acabar tomando uma ação ou decisão em desacordo com os princípios da empresa. Deixando, assim, de cumprir alguma responsabilidade.

 

 

Este juízo entre o interesse próprio e a cultura da organização é que gera o conflito. O bom senso não impede o funcionário de ter seus próprios interesses, no entanto, sob contrato com uma empresa é preciso antes de tudo observar as suas normas.

 

Um exemplo simples disso é quando alguém em cargo de chefia se interessa por algum colaborador subordinado e ambos saem juntos. Se for vetado relacionamentos como o da hipótese dentro da organização, há aí um evidente conflito de interesses.

 

É preciso estar atento aos casos cotidianos para evitar situações que podem levar a um conflito, como a existência de funcionários com um segundo emprego ou com relação direta com empresas concorrentes, parentes em posição de decisão em órgãos públicos, etc.

 

 

Os exemplos são inúmeros, e pode se tornar um conflito ou não conforme as regras de conduta da empresa e as leis vigentes no país.

 

 

Nesses cenários de conflito de interesses, o compliance assegura um consenso que leve a uma solução, evitando que o conflito prejudique a ética e a tomada de decisões.

 

 

Conforme o item 3.29 da NBR ISO 37001 de 2016, Norma de Certificação de Sistemas de Gestão de Compliance, há conflito de interesses na “situação em que interesses do negócio, financeiros, familiares, políticos ou pessoais possam interferir no julgamento das pessoas exercendo suas funções para a organização.“

 

 

Agir de forma imparcial e sem a intenção de se obter vantagens próprias é o modelo ideal para qualquer profissional em uma organização, além de preservar a empresa de qualquer deslize ou situação constrangedora.

 

 

Outros artigos:

 

A importância da denúncia para o compliance.

 

Atividades da área de compliance.

 

A Lei Anticorrupção e o incentivo ao compliance.

 

Due Diligence de compliance.