fbpx

Qual é o tipo de imóvel ideal para uma vida a dois? Quem casa quer casa, diz o ditado, sendo que basta “juntar” para começar a dividir um teto. Mas escolher o imóvel exige dedicação e companheirismo, permitindo que o casal faça compromissos conjuntos que sejam bons para os dois. A começar pela decisão de comprar ou alugar.

 

Essa resposta, por exemplo, depende muito dos planos dos dois para o futuro. Se ainda estão se conhecendo na intimidade ou se familiarizando com a rotina de um e do outro, é sempre bom testar um pouco como ocupam o espaço. Depois de alguns meses e de muitas negociações e alguns pequenos atritos, vão compreender melhor o espaço que cada um ocupa e as necessidades que isso implica.

 

O aluguel nessas horas facilita pular de um imóvel para o outro, adequando o apê à realidade do casal sem muito apego. Mas se a ideia é comprar um cantinho para os dois, então é bom começar a pensar em dividir além da pasta de dente, também um bom planejamento.

 

 

Pensando sempre no futuro.

 

Já que estamos falando de um imóvel para se viver a dois, podemos considerar que isso exclui os filhos nesse momento. Por outro lado, se faz parte dos planos de ambos a chegada de crianças após um tempo comprimido de lua de mel, não ignore a futura prole ao adquirir o imóvel. Afinal, a compra de um apartamento é uma dívida grande e que pode levar anos para ser quitada.

 

Enquanto é apenas um teto para os dois, tanto os lofts, apês de um ou dois quartos e espaços menores combinados com inteligência podem servir bem à dupla. A escolha só depende do gosto e do estilo de vida de cada um. O que nos leva ao próximo passo.

 

 

Unindo os perfis.

Imóvel para casal

Na hora de escolher o imóvel é importante casar os perfis.

 

Os opostos se atraem? Muitas vezes sim. E é aí que mora o perigo, uma vez que não é fácil que o casal combine em tudo quando se vive com alguém que é muito diferente. Nossa dica: paciência. O que não significa também que isso seja impossível.

 

Antes de tudo, comece pelas afinidades. Se ambos são caseiros, a casa será o cenário principal de suas vidas. E quanto mais tempo em casa, maior a bagunça. Então se planeje pra isso, prevendo formas práticas de organizar as coisas e o espaço, organizando um lugar para cada coisa que vocês tenham.

 

Tv no quarto? Depende do quanto os dois são apaixonados por acompanhar juntinhos as séries em serviços de streaming debaixo de um bom cobertor. Mas fica a dica: tv, som, computador, aparelho de ginástica, ou qualquer coisa recorrente da rotina que nem sempre os dois façam ao mesmo tempo, melhor levar tudo para a sala ou escritório. Assim um não atrapalha o sono do outro e o quarto mantém aquele clima exclusivo para o casal namorar e descansar.

 

Decoração clean, rústica, high tech, industrial  ou vintage? Aí não tem jeito. Se os dois não forem da mesma tribo vão ter que sentar para negociar. A decoração é sempre algo muito pessoal. E se o casal pode contar com um bom profissional de design de interiores, é mais fácil de se chegar a uma solução criativa que agrade aos dois.

 

Não tem filhos, mas tem pet.

Imóvel para casal

Muitos casais também dividem espaço com um pet.

 

Um aspecto às vezes ignorado e que deve ser observado envolve os animais de estimação, tratados por alguns com a mesma dedicação de um filho. Os pets, seja cachorro, gato, pássaro ou tartaruga, podem ter restrições em alguns condomínios, enquanto que em outros contam com espaços exclusivos. Planeje bem como dividir o espaço com ele.

 

 

Cuidado com as rotinas.

 

Dizem que o que mata o relacionamento é a rotina. No entanto, planejar o espaço para atender da melhor forma a rotina individual de cada um é uma boa forma de fazer o cotidiano fluir mais tranquilo. Então pense nas peculiaridades das profissões, nos hobbies e no estilo de ambos. Escolha um apartamento que esteja adequado às suas necessidades pessoais e também  às do casal, atendendo ainda às expectativas, preferências e demandas da vida individual e em família.

 

 

E viveram felizes para sempre.

 

Não se engane, a graça de se viver sob o mesmo teto está na dinâmica de dividir o espaço. Antes de mudar, se enxergue vivendo no imóvel, no calor e no frio, na saúde e na doença, durante a semana e no feriado. Antes de ir para o trabalho e depois de voltar da academia, na hora de cozinhar e na hora de pedir comida pelo delivery. Se der match igual foi com o seu crush, o imóvel é pra você.

 

E depois que tiver certeza que é sob medida para a sua vida, tenha empatia com a sua cara metade e repita o mesmo exercício. O seu canto no mundo agora é um refúgio a dois, não um esconderijo. Você nunca mais estará sozinho. E se souber conciliar isso com amor e paciência, a alegria será um hóspede constante nesse imóvel.

 

Leia também:

 

Apartamentos inteligentes.

 

Os segredos para uma boa negociação de imóvel.

Como funciona o crédito imobiliário?

Em qual bairro você procura um apartamento?

 

Imagens do artigo: FreePik