fbpx

Você espera a vida inteira por este momento e então, enfim, se aposenta. E agora? Uma nova vida cheia de possibilidades se abre, tendo tempo de sobra para dedicar a si mesmo. O que você planejou? Já considerou se mudar para um lugar mais tranquilo e barato? Poucas pessoas pensam nisso, mas agora que seus filhos cresceram, as despesas pesadas acabaram e você está livre para seguir o seu caminho, pergunte a si mesmo: a minha cidade é o lugar ideal para eu passar o resto da minha vida?

O assunto é tão sério que publicações relevantes internacionalmente como a Forbes e o Wall Street Journal fazem rankings anuais para identificar os melhores lugares para os aposentados recomeçarem suas vidas. Aqui no Brasil também temos estudos que analisam nossas cidades segundo as necessidades da terceira idade.

Melhores cidades brasileiras para maiores de 60 anos.

Um estudo realizado em quase 500 cidades do país pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegon junto com a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EAESP) elenca quais são as melhores cidades do país para viver após os 60 anos, baseando-se em 7 indicadores: Cuidados de saúde, bem-estar, finanças, habitação, educação e trabalho e cultura e engajamento.

Segundo a pesquisa, o interior de São Paulo desponta como a melhor região para se viver em cidades maiores após os 60 anos. Além de encabeçar a lista com Santos, ainda conta com São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Jundiaí, Americana e Campinas entre as 10 melhores do ranking. Ao lado dessas cidades, está Florianópolis (2ª), Porto Alegre (3ª), Niterói (4ª) e Vitória (5ª).

E o que essas cidades oferecem aos aposentados? Vida! Todas se destacam nos indicadores culturais, oferecendo alternativas de entretenimento e atividade intelectual; também na saúde, com boa infraestrutura de atendimento; e no social, afinal, aposentados continuam vivendo e é preciso promover o encontro entre as pessoas. Nesta categoria, Santos se destaca sendo a cidade com o maior número de casamentos entre idosos.

 

O que torna uma cidade ideal para aposentados?

Cidades para a Terceira idade

A cidade tem que incentivar atividades para a terceira idade. Imagem: FreePik

 

Se você acha que tudo isso se resume apenas à qualidade de vida, se enganou. Uma cidade pode contar com uma série de diferenciais culturais, bom IDH ( Índice de Desenvolvimento Humano ) e acesso aos serviços de saúde. Todavia, esta infraestrutura é adequada ao público idoso?

É preciso possuir condições pensadas para as necessidades específicas da idade, facilitando a mobilidade, fomentando atividades, viabilizando espaços, segmentando serviços e, acima de tudo, incentivando o aposentado a tirar o pijama e sair de casa.

Veja alguns exemplos pelo Brasil. Santos (SP) oferece formação específicas para idosos, com turmas em cursos de línguas exclusivas para eles. Santo André (SP) dá desconto no IPTU para maiores de 60. São Caetano do Sul (SP) tem unidades de lazer e atendimento médico direcionado para maiores de 50 anos. Nova Araçá (RS) tem carnaval da terceira idade. E Porto Alegre (RS) possui o mês do idoso, com atividades culturais e mutirões de saúde para os mais velhos.

 

E a sua cidade?

Cidades para aposentadoss

A sua cidade se qualifica para os seus planos? Imagem: FreePik

 

Se você já se aposentou ou está prestes a fazer isso, pense com calma em o que mobiliza você a sair de casa. Sua cidade possui atividades que integrem pessoas da sua idade? E o acesso aos serviços médicos? Há especialistas de saúde suficiente para atender a população idosa da região?

Não se engane, a aposentaria não é um longo final de semana tedioso. Você vai desejar continuar vivendo, se divertindo e fazendo amigos. A aposentadoria é a oportunidade de finalmente viver como você desejou. Então viva! Mesmo que isso leve você a mudar de cidade.

 

Leia também:

O novo perfil do idoso em Brasília.