fbpx

O Neo Residências Modernas é mesmo coisa de cinema! Acabou indo parar na grande tela como cenário da releitura de um importante documentário de 1967 que acabou censurado por décadas, por retratar não só a monumentalidade de Brasília, mas também suas contradições e desafios.

O novo projeto se chama Plano B, um documentário assinado pelo diretor Getsemane Silva que busca atualizar a mensagem presente em “Contradições de uma Cidade Nova”, filmado em 1967 por Joaquim Pedro de Andrade1(famoso pelo longa Macunaíma) e sob encomenda para a Olivetti.Obra que acabou censurada por mostrar o outro lado da bela capital, narrando com a voz sóbria do poeta Ferreira Gullar o conflito de realidades que já tomava conta da cidade, prenunciando um futuro que muitos se recusavam a enxergar.

Depois de quatro décadas perdido, a película foi restaurada e acabou indo parar nas mãos de outro cineasta, Getsemane Silva. “O argumento  para o documentário é meu”, ele conta, “surgiu há uns 3 anos quando vi, pela primeira vez, o curta Brasília, de Joaquim Pedro de Andrade. Me chamou a atenção pela atualidade das questões e pela história da proibição. Então pensei em contar essa saga ao mesmo tempo que faria uma atualização das questões do passado para o presente, traçando esse paralelo”, resume.

Ao buscar lançar o seu olhar sobre Brasília, trazendo de volta a perspectiva que Joaquim Pedro de Andrade enxergou nos anos 60, Getsemane procurou não só se manter fiel a obra, fazendo paralelos com as cenas da época, mas se desafiando a reabrir o debate que o filme incutia.

E por isso apontou a sua câmera para o bairro Noroeste, o capítulo mais atual da construção de Brasília. E após longa pesquisa, escolheu o canteiro de obras do Neo Residências Modernas da Espaço Y para protagonizar a nova realidade. Ele explica: “Uma cidade se faz a cada tempo e o Noroeste é a da vez. O visual é o mesmo de 50 anos atrás: poeira, terra e obras. E muitos obreiros, claro!”, diz, bem humorado. “Como o filme de Joaquim Pedro fala muito sobre operários, achei interessante exibir esse filme para os operários de hoje”, completa.

“Esses cidadãos constroem a cidade mas não a conhecem, pois normalmente moram muito longe do Plano Piloto. Chegam cedo à obra e voltam tarde para casa”, comenta Solange Barros que foi responsável pela obra e acompanhou a equipe de filmagem. E acrescenta: “Mostramos um pouco da história e dos traços da cidade a esses vencedores: alugamos um ônibus e eu propus que o pessoal do escritório – que conhece Brasília, de fato – desse um passeio ensinando e narrando aos operários os principais pontos turísticos. Falamos de Lúcio Costa, Niemeyer, dos Três Poderes, muitos assuntos. Subimos na torre de TV e mostramos o traçado do avião, eles ficaram maravilhados”.

O resultado da filmagem pode ser conferido assistindo documentário Plano B de Getsemane Silva, disponível para streamingno Itunes da Apple e no serviço NOW da Net.

[1] Premiado cineasta modernista brasileiro, autor de 7 documentários e 7 longas-metragem.

[3] Prêmio Construir Brasília.