fbpx

O bairro Jardim Botânico de Brasília abriga um número sem fim de condomínios fechados de casas voltadas para a classe média alta. Esta é a principal característica que o define e o diferencia das outras regiões de Brasília, proporcionando aos seus moradores viverem com maior segurança e tranquilidade em um lugar próximo ao centro da Capital Federal.

 

Contudo, o bairro se consolidou com alternativas de lazer diversificadas, altos índices de qualidade de vida e com algumas peculiaridades pouco conhecidas de muitos brasilienses. Neste artigo, vamos abordar um pouco sobre a história do bairro, seus diferenciais e como é viver por ali.

 

 

A origem do bairro Jardim Botânico.

 

Localizado entre o Lago Sul, Paranoá e São Sebastião, o bairro só veio a existir oficialmente em 1.999, ano do Decreto 20.881 que instituía o Setor Habitacional Jardim Botânico, tornando-se uma região administrativa em 2004 por meio da Lei 3435. O seu nome deriva do grande parque localizado na região, o Jardim Botânico.

 

Embora bem recente no papel, a região já contava com diversos condomínios horizontais localizados a partir da barragem do Lago Paranoá até São Sebastião. A maioria proveniente originalmente de parcelamentos da Fazenda Taboquinha, cuja delimitação possuía muitas controvérsias.

 

Por isso, a maioria desses primeiros condomínios ficaram irregulares por muito tempo em virtude dessas controvérsias, passando somente mais recentemente por um processo de regularização que se iniciou em 2006 e novamente em 2018. Por outro lado, existem diversos outros condomínios implementados pelas grandes construtoras por meio de incorporação imobiliária em terrenos totalmente regularizados adquiridos junto à TERRACAP.

 

 

O perfil do morador.

Jardim Botânico

A maioria dos moradores do bairro trabalham em órgãos públicos da cidade.

 

“O Jardim Botânico abriga uma população com renda e escolaridade elevadas se comparadas a outras regiões do Distrito Federal. Grande parte dos moradores é servidora pública e 92% têm carro na garagem. É o que revela a Pesquisa Distrital de Amostra de Domicílios (Pdad) divulgada ontem pela Companhia de Planejamento (Codeplan). Entre as 22 localidades pesquisadas pelo órgão, a região, formada por condomínios, o Jardim Botânico aparece com a segunda maior renda per capita do DF, de R$ 1,8 mil. Os dados também indicam a renda familiar como uma das maiores, estipulada em R$ 12,4 mil. A região perde apenas para o Park Way nos dois quesitos.

 

Em 8.172 casas distribuídas em cerca de 30 condomínios fechados, vivem 27,3 mil pessoas, com faixa etária predominante (52,12%) entre 25 e 59 anos, seguidas de pessoas de até 14 anos (16,69%) e aquelas com 60 anos ou mais, que representam 16,58%. Os dados revelam que no Jardim Botânico há mais mulheres (51,7%) do que homens (48,2%). Da população, 55,18% vieram de outras unidades da Federação. A maior parte veio de Minas Gerais (22,34%), do Rio de Janeiro (15,73%) e de São Paulo (9,76%).” [1]

 

 

O cotidiano do bairro.

 

O bairro conta com diversas peculiaridades que vão do trânsito a similaridade de moradia, do comércio ao ensino. Singularidades que criam uma dinâmica própria no cotidiano dos moradores.

 

Por exemplo, o bairro conta com diversas opções de escolas espalhadas pela região, incluindo em sua divisa com o Lago Sul diversas instituições de ensino bilíngues como a Escola Francesa e a Escola das Nações.

 

Também conta com a renomada fábrica de doces da Maria Amélia, principal confeitaria da cidade, onde encontramos um café bastante badalado com produtos produzidos ali mesmo. A parte de alimentação é rica em alternativas de padarias e restaurantes, chamando atenção pela diversidade dos barzinhos.

 

Por fim, além de um comércio diversificado que inclui até um shopping, o bairro ainda conta com uma hípica junto à fazenda do tricampeão de Fórmula 1, Nelson Piquet. Além de algumas atrações, o lugar oferece aulas de equitação e um excelente café colonial.

 

 

O Parque Jardim Botânico.

Jardim Botânico

Espaço para os piqueniques. Imagem Rafael Castanheira via Jardim Botânico.

 

Talvez o principal diferencial do bairro seja mesmo o parque Jardim Botânico, sendo “um pequeno paraíso escondido dentro da Capital Federal, com parques, trilhas, estufas, diversas atrações e muito charme para esbanjar. Um local planejado por Lúcio Costa ainda no projeto original que culminou na construção da cidade, sendo a última obra a sair do papel entre as previstas pelo urbanista.” [2]

 

É lá que encontramos o famoso espaço para piquenique onde muitos brasilienses vão para fazer um brunch nas manhãs de sábado e domingo. Sendo esta a porta de entrada para diversas atrações como já detalhamos no artigo sobre o “Jardim Botânico de Brasília”.

 

 

[1] Fonte: Correio Brasiliense.

[2] Fonte: Jardim Botânico de Brasília

 

 

 

Outros artigos.

 

Sudoeste, o endereço que valoriza quem dá valor à vida.

 

A Asa Norte é para se viver e ser vivida.

 

O bairro Park Sul de Brasília.

 

Jardim Botânico de Brasília.