fbpx

O drywall é uma tecnologia construtiva muito versátil que aprimorou as construções modernas, dividindo melhor o ambiente sem tomar muito espaço, aumentando o desempenho acústico e térmico do imóvel, embutindo cabos e fios nas paredes e tetos sem grandes reformas, só para citar algumas das vantagens mais comuns.

 

Por ser maleável, facilita projetos arrojados com desníveis, curvas  e recortes. Além disso, é uma tecnologia sustentável, prática, de rápida instalação e a um custo mais baixo em relação às alternativas tradicionais.

 

Sustentável porque o drywall é uma tecnologia de construção seca (não utiliza água), nem precisa empregar argamassa, cimento e concreto. Sua matéria-prima (gipsita) não é tóxica e seus componentes são recicláveis, revelando-se uma tecnologia limpa que apresenta somente 5% de resíduos na obra enquanto o normal é de 30% nos métodos tradicionais.

 

Tem um custo menor por ser um sistema industrializado, além de ser mais barato para transportar por ser mais leve. Também traz agilidade à obra, sendo que dois especialistas dão conta de erguer cerca de 30 m² em um dia de trabalho.

 

O drywall ainda proporciona maior conforto para quem utiliza o ambiente, uma vez que ele forma um colchão de ar entre suas placas, oferecendo melhor desempenho térmico e acústico. Essa proteção contra barulho e calor pode ter o resultado incrementado com enchimento de lã mineral.

 

 

O que é o Drywall?

O drywall nas construções modernas.

Detalhamento de um drywall. Fonte Escola Engenharia

 

Drywall é um sistema de construção a seco composto por placas fixadas em estruturas de aço. A placa (ou chapa) de drywall é um conjunto composto por um núcleo de gesso natural revestido com duas lâminas de cartão. Neste sistema, o gesso agrega resistência à compressão e o cartão proporciona resistência à tração.

 

Criado por Augustine Sackett em 1898, o drywall revolucionou a construção civil nos Estados Unidos implementando um sistema simples de construção baseado em painéis feitos com gesso natural revestidos com papel cartão nas duas faces.

 

Com o passar do tempo, veio evoluindo tecnologicamente e expandiu como uma alternativa construtiva funcional e econômica para todo o mundo, chegando ao Brasil em 1970. E embora já seja amplamente utilizado em construções de pequeno, médio e grande porte, ainda é bastante subutilizado nacionalmente diante das muitas possibilidades e vantagens que o material apresenta.

 

 

Tipos de drywall e possibilidades de instalação.

 

“Há três tipos de chapa, que se diferenciam pelo tom da cobertura de papel-cartão. A face branca deve voltar-se sempre para o lado do acabamento:

 

Verde (RU): com silicone e aditivos fungicidas misturados ao gesso, permite a aplicação em áreas úmidas (banheiro, cozinha e lavanderia).

 

Rosa (RF): resiste mais ao fogo por causa da presença de fibra de vidro na fórmula. Por isso, vai bem ao redor de lareiras e na bancada do cooktop.

 

Branco (ST): é a variedade mais básica (Standard), amplamente empregada em forros e paredes de ambientes secos.

 

Tipos de instalação:

 

Fixação do forro: os painéis específicos para o teto são parafusados na estrutura de aço, e o forro fica suspenso por tirantes sob a laje (ou presos no telhado). Isso ajuda a absorver os movimentos naturais da construção, o que evita trincas.

 

Painéis prontos: lançamento recente, já vem com revestimento (cartão melamínico ou de PVC em vários padrões ou cores), que dispensa a etapa de acabamento.

 

Parede sobre parede: essa técnica nivela superfícies originalmente tortas e aumenta o conforto termoacústico do ambiente. Perfis são instalados sobre apoios fixos na alvenaria com massa de colagem, espaçados a cada 12 cm. A espessura mínima é de 3,5 cm.” [1]

 

 

Desfazendo alguns mitos sobre o drywall.

Drywall nas construções modernas

O mercado ainda espalha muitas dúvidas acerca do emprego do drywall.

 

Pode ser instalado em área úmidas?

 

Sim, pode ser empregado no banheiro, cozinha e lavanderia utilizando a chapa de drywall do tipo verde. “O boxe, o piso e a faixa de 15 cm junto ao chão demandam impermeabilização com manta asfáltica ou polimérica. Isso serve para qualquer método construtivo.

 

O drywall é resistente?

 

Muito! Para se ter uma ideia, em condições normais, a durabilidade do drywall é indeterminada. Sua qualidade e especificação devem estar de acordo com a norma técnica NBR 15.758, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), e suas composições devem se encaixar em todos os níveis da norma chamada Desempenho de Edificações, a NBR 15.575. Estando de acordo com a legislação, o drywall é capaz de resistir a tremores, impactos e vibrações sem sofrer danos.

 

O drywall possui isolamento termoacústico?

 

Sim, o drywall possui naturalmente tanto o isolamento acústico quanto o desempenho térmico. Contudo, é possível melhorar o conforto no ambiente incluindo entre as chapas materiais fibrosos, como lã de rocha ou lã de vidro, atribuindo a ele características de isolamento, de absorção e atenuação de sons, além de estabilizar a temperatura.

 

 

[1] Fonte: Revista Casa da Editora Abril