fbpx

O Airbnb é um aplicativo de serviço baseado no compartilhamento que conecta pessoas no mundo inteiro para que elas ofereçam espaços em sua casa para usuários em buscas de acomodações no local. Sendo que o anfitrião pode oferecer desde uma casa ou apartamento até um quarto apenas.

 

Trata-se de um serviço tão revolucionário e popular quanto o Uber, já sendo utilizado por milhões de pessoas ao redor do mundo. Tamanha popularidade vem da enorme possibilidade de públicos, que podem ser viajantes, profissionais em trânsito, moradores locais, turistas, pessoas envolvidas em projetos temporários, além de demandas por temporada.

 

 

Como funciona?

 

“O Airbnb começou em 2008, quando dois designers que tinham um espaço sobrando hospedaram três viajantes que procuravam um lugar para ficar. Agora, milhões de anfitriões e viajantes optam por criar uma conta gratuita no Airbnb para que possam anunciar seu espaço e reservar acomodações únicas em qualquer lugar do mundo. Além disso, os anfitriões de experiências do Airbnb compartilham suas paixões e interesses com viajantes e moradores locais.” [1]

 

Na prática, você baixa o aplicativo do Airbnb e cria um perfil. Depois define se está buscando por acomodações ou se deseja disponibilizar um espaço para aluguel. No primeiro caso, o usuário pode pesquisar no aplicativo por ofertas no seu próximo destino, buscando por localização, preço e disponibilidade de tempo. E ainda conta com resenhas de outros hóspedes e com a classificação dos proprietários.

 

No caso de optar por ser um anfitrião, você cadastra o espaço disponível do seu imóvel, incluindo informações práticas e recomendações, além da descrição, localização e fotos.

 

 

O que fazer para potencializar os ganhos com o aluguel do meu imóvel?

 

A primeira dica é: seja “realmente” um anfitrião. Surpreenda o hóspede. A maioria dos anfitriões estão lá pelo menos para receber o inquilino na chegada com as devidas orientações e informações. No entanto, alguns vão além e preparam um mimo, capricham na recepção e até buscam no aeroporto. Claro, não é preciso fazer nada disso, mas o capricho na empatia encanta e o resultado da experiência que você proporciona impacta não só em uma classificação positiva no aplicativo, como em “boas histórias” nos comentários.

 

A segunda dica é: capriche na apresentação do imóvel. Muitos anfitriões fazem fotos profissionais de seus imóveis para valorizar bastante os diferenciais do espaço. Além disso, a descrição do imóvel com localização e diferenciais da região como acessibilidade e infraestrutura contribuem muito para a decisão do cliente.

 

A terceira e última dica é: o que importa é o custo-benefício. Entenda, diferente do quarto de hotel, o Airbnb é visto como se fosse a “sua casa” em outro lugar. Ou seja, as pessoas (principalmente em estadias maiores) cozinham, lavam roupa, etc, e todas as demais atividades cotidianas, como alguém que alugou um imóvel todo mobiliado e equipado. O preço deve refletir o que o espaço oferece para que a oferta seja competitiva.

 

 

Como escolher um bom imóvel para se hospedar?

Economia compartilhada

O Airbnb permite que você se sinta “em casa” em qualquer parte do mundo.

 

A maioria das descrições dos imóveis são bem completas, inclusive alertando sobre algumas dificuldades que o hóspede pode encontrar como, por exemplo, não ter elevador no prédio. Mas se você quer descobrir a verdade sobre o endereço, vá para os comentários. Aí, as pessoas comentam a realidade da oferta, tanto as positivas quanto as negativas e, principalmente, revelam o perfil certo de visitante para o local.

 

Devido a popularidade do aplicativo, quando começar a sua pesquisa notará um número imenso de ofertas. Por isso, use os filtros ao extremo, para que consiga limitar da melhor forma as suas alternativas. E aqui fica uma dica: consulte o Google Maps antes de finalizar a escolha. Use a função Street View da ferramenta para dar uma volta nos arredores do imóvel. Isso pode influenciar muito na sua escolha.

 

Por último, o Airbnb não é o único aplicativo de compartilhamento de imóveis. Existem outras alternativas com modelos praticamente iguais, porém, como menos ofertas. Caso tenha curiosidade, pode pesquisar pelo Wimdu, muito usado na Europa, além do CouchSurfing e do 9Flats.com.

 

 

[1] Fonte: Airbnb

 

Outros artigos:

Vivendo em um mundo mais compartilhado

 

A invasão dos espaços de coworking.

 

Escritórios inteligentes.