fbpx

Os jardins verticais são estruturas que revestem a fachada de um edifício com vegetação, trazendo a natureza para dentro da cidade. Essas paredes verdes estão cada vez mais em evidência na arquitetura, e funcionam como uma intervenção paisagística criada por meio do cultivo de plantas trepadeiras ou da aplicação de módulos em áreas externas ou internas de um prédio.

O uso dessa arquitetura bioclimática valoriza bastante a fachada por não ser dada ao desgaste do tempo, resistindo com esplendor ao cotidiano da cidade, trazendo para a vizinhança uma estética viva e sustentável, além de diversos benefícios ecológicos.

Nesta superfície vegetal, as plantas são alocadas num sistema de fixação auxiliar, geralmente a uma certa distância da parede, ou inseridas sobre lajes e no solo, próximas à edificação. Utiliza-se para este fim, plantas que não possuam manutenção, principalmente de pequeno porte e com pequenas raízes.

Por isso, o uso de trepadeiras nos jardins verticais é indicado, por se adequarem facilmente às estruturas e por se desenvolverem sem a necessidade de muitos cuidados, tendo podas periódicas e demandando pouca água. Exemplo desse tipo de planta é a unha-de-gato e a hera.

É possível crescer paredes verdes com arbustos ou cercas vivas, lembrando que a parede deve estar impermeabilizada e concebida com a carga prevista para o peso extra da vegetação.

Embora os jardins verticais (paredes verdes) sejam geralmente pensados como um elemento estético, eles podem ser empregados com bons resultados para a reabilitação urbana em retrofit, ou mesmo em edifícios novos, trazendo diversos benefícios como listamos abaixo.

 

Isolamento térmico e acústico.

 

A vegetação protege o edifício amenizando a radiação solar, além de absorver e isolar ruídos externos.

 

Sustentabilidade energética.

 

Outra vantagem dos jardins verticais sobre outros revestimentos, é que a espessura da parede pode aumentar, o que dificulta a fuga e a entrada de calor. Trazendo maior eficiência energética ao edifício por necessitar de menos refrigeração.

 

Preserva a fachada.

 

Revestir uma superfície exterior com vegetação aumenta a vida útil da fachada , protegendo a estrutura contra a chuva, os ventos e os danos da radiação UV.

Green wall e paredes verdes

Parede verde indoor. Imagem: greenroofs

 

Estética bonita e baixa manutenção.

 

O uso das paredes verdes integram a natureza à paisagem urbana, inserindo maior beleza nas estruturas, demandando pouca manutenção e podas periódicas, sendo possível automatizar a irrigação de água.

 

Otimiza a qualidade do ar.

 

Por realizar fotossíntese, a parede verde absorve as substâncias tóxicas e a libera oxigênio na atmosfera.

 

Biodiversidade.

 

Os jardins verticais se tornam nichos de natureza no meio de um centro urbano, atraindo pássaros e pequenos insetos.

Foto em destaque, fonte: https://www.ansgroupglobal.com/living-wall/case-studies/university-york