fbpx

Hoje, investir em um imóvel na planta do bairro Noroeste é bastante vantajoso. Mas fica a pergunta: vale a pena morar no Noroeste? Sim, é bom morar no Noroeste e quem diz isso são os próprios moradores.

O projeto do bairro prometeu uma infraestrutura única em Brasília, mas durante a sua implementação as coisas não saíram na velocidade esperada. No entanto, foi essa frustração coletiva que uniu os moradores na busca de transformar o espaço em que viviam.

Dessa mobilização surgiu diversos grupos moldados a partir da busca por uma melhor qualidade de vida. Os moradores se associaram por meio de temas como “mães do Noroeste”, “pedalar pelo Noroeste”, “eventos Noroeste”, “serviços Noroeste” e muitos outros. E com isso, conquistaram algo cada vez mais raro em Brasília: uma vizinhança.

Isso mesmo, esqueça os esteriótipos de bairro “elitista”, “esnobe” e “segregado”. Os moradores do Noroeste têm vizinhos! E reinvindicarm para eles mesmos o protagonismo da vida no local. Não só buscando soluções para toda comunidade, mas zelando pela continuidade de cada conquista.

Se antes todo fim de semana era dia de feira imobiliária, agora tem feirinha no domingo com verduras, temperos, frutas e até pães artesanais. Também tem festa junina, Pet Fest e até Norôfolia no carnaval1, além de diversos pontos de encontro que vão surgindo nas quadras poliesportivas, nas trilhas do parque Burle Marx e até em missas organizadas a cada semana em um bloco diferente.

O Noroeste resgata a convivência entre as pessoas, desenvolvendo características e rotinas próprias. Um lugar de encontro cada vez melhor estruturado, com mais e mais opções de comércio, praças e jardins. Um bairro com alma!

Se já vale a pena morar no Noroeste pelas diversas opções de prédio novos, belos e modernos construídos com os melhores recursos tecnológicos e de segurança em Brasília, bem como todos os diferenciais ecológicos obrigatórios nos empreendimentos da região, agora também é bom morar no Noroeste porque os moradores se uniram e construíram um lugar vivo e punjante para chamar de lar!

[1] Fonte: Associação dos Moradores do Noroeste. Mais informações no perfil amonor do Facebook ou em www.amonor.com.br.